BUILDING BRANDS, DEVELOPING CONTENTS

Brasilidade na água

Dezembro de 2006

Como foi construída a identidade e a programação visual do barco brasileiro que disputou a Volvo Oc ean Race. Valorizar a brasilidade no exterior, ainda mais através de um esporte no qual o país é altamente vencedor, foi o desafio do GAD’ ao ser selecionado para criar a identidade visual do veleiro Brasil 1, que iria representar o Brasil na Volvo Ocean Race, uma das mais importantes provas de vela do mundo. O trabalho, que incluiu a marca Brasil 1 e a comunicação visual do veleiro, privilegiou as cores azul e amarela. O desenho é composto por um losango amarelo, e, para reforçar a relação com a água, os contornos da marca são formados por gotas, forma que sugere dinâmica e movimento

Branding no ponto-de-venda

Dezembro de 2006

A Claro, lançada no Brasil em 2002 pelo grupo mexicano América Móvel – líder no mercado latino-americano de telecomunicações, com mais de 100 milhões de clientes –, vem sendo utilizada como a marca da unificação de suas operações neste mercado. Já presente em sete países, Brasil Peru, Chile, El Salvador, República Dominicana, Guatemala e Honduras, o grupo tem adotado o branding definido no Brasil como padrão para todos os países. O GAD ’, como responsável pelo projeto global da marca, envolvendo estratégia e posicionamento, arquitetura de marca, identidade, design dos PDV s, embalagens, merchandising e comunicação interna, definiu um conjunto de padrões e polices para orientar a implantação da marca nestes novos mercados.

Foco nos colaboradores

Dezembro de 2006

A cada dia, cresce a importância da imagem empresarial como diferencial competitivo. Não se trata de maquiagem, mas sim de divulgar a postura real da empresa perante o mercado. Nesse processo, o alinhamento das mensagens através da comunicação interna é uma das ações mais importantes na construção de uma identidade organizacional, pois permite unificar os valores da corporação e dar coerência ao discurso dos colaboradores. Na realidade, estamos falando de como a comunicação interna, o endomarketing ou endobranding, é uma ferramenta eficaz na construção de uma marca forte.

Uma empresa atenta a este panorama é a Petrobras, que desenvolveu alguns de seus projetos de comunicação interna em parceria com o GAD ’.

Além da embalagem

Dezembro de 2006

A idéia inicial era criar apenas um estojo de plástico para acomodar os lápis Faber-Castell, mas o trabalho apresentado extrapolou as expectativas e o que deveria apenas ser uma caixa protetora transformou-se em produto: um porta-lápis ergonômico e prático que permite a melhor visualização do conteúdo pelas crianças e nos pontos-de-venda, como explica Marcos Roismann, designer do GAD’. “Nosso desafio era propor algo diferenciado e moderno. Conseguimos, pois é como se os lápis estivessem se mostrando”, observa.A forma curva, por exemplo, foi pensada para dispor os lápis de uma maneira mais prática. Além disso, duas janelas permitem a visualização da marca e do grip, pequenos pontos de contato que não permitem que o lápis escorregue da mão, uma vantagem do produto.

!Mirabolante Miró

Dezembro de 2006

Mostra patrocinada pelo Santander Cultural trouxe ao Brasil 200 obras do artista catalão Joan Miró.Um dos gênios das artes plásticas, o catalão Joan Miró, foi alvo de uma exposição realizada pelo Santander Cultural, com a coordenação da superintendente Liliana Magalhães. Esse projeto reuniu 178 gravuras e 28 pôsteres das duas últimas décadas de vida do artista, sob curadoria de Jean Frémon e Fábio Magalhães e museografia da Arte 3, de Pedro Mendes da Rocha. Para divulgar !Mirabolante Miró no Brasil, o GAD’ criou a identidade da marca, a ambientação, os materiais de comunicação e o design do livro da exposição.Como parte da mostra, as peças produzidas foram inspiradas na própria obra de Miró, valorizando a ousadia, a vanguarda e o arrojo de um dos artistas mais influentes do século XX pela força da sua expressão plástica.

Um novo modelo de negócio

Dezembro de 2006

Marca e ponto-de-venda da rede de lojas One Store potencializam a estratégia da Marisol.Gestor de marcas conhecidas como a Lilica Ripilica, Tigor T. Tiger, Mineral, Criativa, Rosa Chá e Worhgon, o Grupo Marisol visava desenvolver um novo modelo de negócio – uma rede de valor. O objetivo era criar uma rede de lojistas multimarcas independentes que, ao se unirem, se tornariam mais competitivos. Além disso, contariam com um forte plano de marketing. “Queríamos dar suporte a esses empresários para que eles conseguissem equilibrar os pontos de sustentação do negócio, ou seja, uma marca forte e atrativa, a gestão eficiente dos estoques e o acesso facilitado ao crédito”, explica Giuliano Donini, diretor de marketing da Marisol.

A Estratégia do Movimento

Julho de 2013

Cenário de chegadas e partidas, de histórias de cerca de 35 milhões de pessoas que, anualmente, se encontram, se despedem e seguem suas trajetórias, o Aeroporto Internacional de Guarulhos precisava de um nome para chamar de seu. Um nome que representasse toda a importância de um dos maiores complexos aeroportuários da América Latina. Identifi - cado por muitos como Cumbica e Guarulhos e, por alguns, pelo ofi cial Governador André Franco Montoro, faltava ao equipamento uma denominação única, que revelasse ao mais desavisado dos passageiros todo o dinamismo e internacionalização do local onde ele se encontrava.

Consumidor levado a sério

Janeiro de 2012

Remodelagem da linha que lidera mercado de lubrificantes no brasil incluiu sugestões de usuários ouvidos em pontos de venda.Líder do mercado brasileiro de lubrificantes automotivos, a linha Lubrax foi totalmente reformulada pela Petrobrás como parte da estratégia de reposicionamento adotada pela empresa – há mais de 30 anos no mercado, a marca nunca havia passado por um processo tão profundo de remodelagem. Líder do mercado brasileiro de lubrificantes automotivos, a linha Lubrax foi totalmente reformulada pela Petrobras como parte da estratégia...

Descomplicada, mas com qualidade

Janeiro de 2012

Para criar a primeira marca nacional de medicina diagnóstica, o GAD` apostou na unificação de 94 lojas distribuídas por 13 bandeiras diferentes em todo o país.O resultado é mais calor humano e contemporaneidade no atendimento.O mercado brasileiro de medicina diagnóstica possui um expressivo potencial de expansão, com possibilidade de crescimento sustentado justifi cado por importantes transformações no modelo de gestão das empresas do setor – entre elas, abertura de capital e a consolidação de operações a partir de fusões e aquisições.

Experiência emocional de consumo

Julho de 2013

Com mais de 50 anos de atuação, 613 lojas instaladas em 16 estados brasileiros e cerca de oito mil itens à venda para casa, a rede Magazine Luiza tinha pela frente um desafio e tanto: atualizar suas unidades, com a melhoria da exposição dos artigos, bem como da circulação interna de seu público consumidor – essencialmente oriundo das classes C e D. Ao mesmo tempo, precisava transmitir por meio de uma comunicação visual eficiente os valores da empresa e dar às lojas um aspecto fun, alegre, traduzindo nos pontos de venda (PDV) o posicionamento “Vem ser Feliz”. Ao longo dos três últimos anos, uma equipe multidisciplinar do Gad’Retail trabalhou com o objetivo de transformar o momento da compra em uma experiência emocional positiva para os clientes.

Uma nova cultura

Julho de 2007

A fusão entre as empresas Dilly e Clássico revelou a necessidade de alinhar a cultura organizacional do novo grupo através de um profundo trabalho de marca.

A fusão empresarial é certamente um dos processos de gestão mais complexos que existem e naturalmente exige planejamento criterioso e implantação precisa. Afi nal, implica a união de diferentes culturas corporativas em uma única e nova companhia, além de demandar a revisão de metas e competências que passarão a nortear o trabalho de toda a organização.

A identidade da evolução

Julho de 2007

Fundamentada em um amplo estudo sobre a companhia, a estratégia de redesenho da identidade estimulou associação da marca Embratel a atributos como brasilidade, tecnologia, credibilidade, inovação e proximidade.A privatização do sistema de telecomunicação, em 1998, provocou acaloradas discussões no Brasil. O processo melhorou a qualidade dos serviços prestados, mas despertou a antipatia de alguns segmentos da sociedade, contrários à transferência do comando das companhias do setor para as mãos da iniciativa privada. Uma exceção à regra é a Embratel. Devido à trajetória fortemente ligada ao desenvolvimento do País, a companhia teve sua imagem preservada durante a fase de mudanças pelas quais o setor passou no final dos anos 1990 e no início desta década.

Reinvenção do Mercado

Julho de 2007

Estratégia desenvolvida para o líder do setor farmacêutico teve como objetivo alinhar o novo posicionamento da marca ao negócio da empresa, além de destacar sua dimensão frente aos públicos de interesse.O laboratório EMS-Sigma Pharma, apesar de pouco conhecido do grande público, é uma gigante nacional farmacêutico. Neste ano, atingiu a liderança nacional do segmento, em faturamento e em unidades vendidas (115,6 milhões em 2006).Além disso, a companhia destaca-se por ser a detentora do maior portfolio de produtos do setor. Um dos grandes responsáveis pelo desempenho da EMS são os genéricos, que representam mais de 50% das receitas da organização, pioneira no desenvolvimento desse tipo de fármaco no Brasil.

Naming, uma nova disciplina

Julho de 2007

O naming, ou a marca nominativa, teve papel determinante na solução do branding da Clássico Dilly, pois era necessário refletir no nome da empresa a renovação que estava em curso nos negócios da companhia. Ao adotar um novo nome, o grupo ganhou um forte elemento capaz de simbolizar as mudanças e de expressar seu novo posicionamento. Mas encontrar um naming adequado só é possível quando ele é visto como um dos mais importantes elementos estratégicos e parte fundamental da identidade de uma marca. Seu desenvolvimento, muitas vezes realizado de forma empírica e intuitiva, necessita de uma abordagem metodológica estruturada, por ser um processo que atualmente envolve um conjunto de variáveis conceituais e legais.

O desafio de unificar

Julho de 2007

GAD’ assessora o Santander no processo de integração de suas marcas e na defi nição da sua nova identidade no Brasil A competição cada vez mais acirrada e a crescente complexidade nas relações de mercado levam as instituições financeiras a um maior refinamento no relacionamento com os clientes. A necessidade de agregar valor à marca faz com que estas instituições aportem grandes investimentos em esportes, cultura e ações de sustentabilidade social. São certamente instrumentos valiosos para conquistar corações e bolsos de consumidores. No entanto, a estratégia para se diferenciar num cenário tão competitivo não se encerra com esses esforços.

Dialogo com a incerteza

Dezembro de 2007

Conceito de dualidade e qu estionamento norteia trabalho de comunicação desenvolvido para o Espaço Cultural CPFL Investir em projetos voltados à cultura não é novidade no mundo corporativo. Patrocinar eventos ou batizar espaços como salas de cinema e teatro são estratégias cada vez mais adotadas por empresas que querem aliar seus nomes ao entretenimento e até mesmo à formação das pessoas. A CPFL, uma das gigantes nacionais do setor energético, também criou seu espaço cultural, mas foi além. Ao integrar diversas áreas do conhecimento e diferentes expressões, o espaço se tornou mais do que uma intervenção pontual: ele simboliza a construção permanente de diálogo com a sociedade sobre os desafios do mundo contemporâneo.

A força de um clássico

Dezembro de 2007

Criadora de produtos de borracha usados por diversas gerações, Mercur reposiciona sua marca para se tornar um clássico do segmento. Quando, em 2001, a indústria gaúcha de artefatos de borracha Mercur, de Santa Cruz do Sul (RS), decidiu contratar um instituto de pesquisa para realizar uma investigação sobre sua imagem no mercado, o diagnóstico apontou a necessidade de modernizar a marca. Assim foi feito. O símbolo ganhou traços mais contemporâneos, similares aos dos superheróis das histórias em quadrinhos. No entanto, esse redesenho não foi suficiente, e dificilmente seria, para sustentar a mudança necessária ao reposicionamento da marca.Provavelmente, o que o consumidor estava apontando era a importância de modernizar a empresa e seus produtos, e não especificamente seu logotipo ou sua identidade.

Do virtual ao real

Dezembro de 2007

Sun down se alinha à tendênc ia mun dial com o desenv olvimento de triciclos para us o urbano baseados em experiênc ias no Second Life valores, tendências e preocupações sociais vigentes. Neste sentido, nada melhor do que testar junto aos consumidores o que eles pensam e sentem sobre uma proposta inovadora. Para alcançar esse objetivo, a Sundown Motos, que faz parte do Grupo Brasil & Movimento e é a terceira marca mais vendida no Brasil, resolveu utilizar o mundo digital. Visando a aproximar-se ainda mais dos jovens, abriu este ano uma concessionária no Second Life, ambiente virtual e tridimensional que simula a vida real, e lançou uma moto de três rodas, fechada e com ar-condicionado.

Um banco diferente uma marca ousada

Julho de 2008

Banco Lemon fortalece a marca como alternativa ao modelo tradicional do sistema bancário, com projeto de reposicionamento desenvolvido pelo GAD ’.

Consulte qualquer um dos vários rankings de brand valuation publicados nos últimos anos, e analise os segmentos de atuação das marcas mais valiosas. Você vai certamente constatar que as instituições financeiras têm sempre lugares garantidos nas primeiras posições, seja aqui ou no exterior. É inegável que o valor de mercado dos bancos são teoricamente um ponto de partida relevante para que eles larguem na frente nesta corrida. Mas o que faz verdadeiramente com que um setor que teria tudo para ser comoditizado, alcance uma relevância tão grande, com marcas tão valorizadas?

Informação Transparente

Julho de 2008

Os relatórios administrativos imp rimem transp arênc ia às atividades corporativas, amp liando o diálogo da organização com a sociedade. Utilizados para prestação de contas e apresentação de expectativas sobre desempenhos futuros, os relatórios administrativos constituem uma poderosa ferramenta de auto-análise e estímulo de relacionamento com os partners internos e externos das organizações. Mas nos últimos anos, esses documentos ganharam um capítulo à parte: a sustentabilidade, que deixou de ser apenas um elemento periférico para se tornar o centro da estratégia de muitas empresas. Para o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), a comunicação de uma empresa não deve restringir-se ao desempenho econômico-financeiro, mas...

O novo paradigma das Organizações

Julho de 2008

Ambientes que promovem o bem estar e um a forma diferente de trabalhar, os Office Parks são a resposta das empresas na busca de organizações mais criativas Empresas são entidades complexas, pois em tese devem harmonizar expectativas e visões dos seus acionistas, colaboradores e comunidades, na busca de resultados efetivos e cada vez mais sustentáveis. Neste sentido, as sedes das organizações e seus espaços de trabalho vem se tornando cada vez mais uma forma de criar ambientes que harmonizem não só esta expectativa, mas que também possam afirmar a sua filosofia organizacional. Nesse contexto, várias empresas transformaram o ambiente de trabalho a fim de proporcionar aos funcionários uma experiência positiva com a marca e os valores da empresa.

Identidade com estratégia de negócio.

Janeiro de 2009

Rede hoteleira Royal Palm Hotels & Resorts reposiciona marca em busca de modernidad e e da expansão do mercado nacional O setor hoteleiro no Brasil saiu de momentos dif íceis entre os anos de 2001 e 2004, passando a partir de 2005 a um período de estabilização. A disputa pelo cliente continua acirrada, fenômeno desencadeado pela globalização de marcas no mercado local, atraídas pela economia em ascensão. Vale destacar que 84 novos grandes hotéis surgiram no Brasil entre 2004 e 2005, sendo que 59 estão ligados a grandes redes nacionais ou internacionais. Viajando a negócios ou a lazer, o turista brasileiro familiarizou-se fortemente com novas marcas como Accor, Transamérica, Sol Meliá, Blue Tree, entre tantas outras.

Luxo Despojado

Janeiro de 2009

Luxo Despojado Glamour das marcas , exclusividade dos produtos e atendimento especializado são alguns dos diferenciais que justificam o crescimento dos pontos -de-venda premium multimarcas no Brasil. Pensar espaços que expressem adequadamente diferentes marcas e identidades e gerem uma experiência emocional entre produtos e consumidores são os grandes desafios dos designers para pensar os ambientes de varejo multimarcas. As variáveis para esse tipo de projeto são inúmeras e complexas: desde as tangíveis condições de acessibilidade, iluminação, conforto, exposição, estoque, aspectos legais, sociais, entre outras, até as intangíveis relacionadas ao comportamento do público-alvo, tendências e influências...

Ser global agir local

Janeiro de 2009

Quando em 1983, o acadêmico Theodore Levitt declarou que “o mundo estava se transformando em uma aldeia global e que as necessidades e desejos das pessoas estavam se tornando irrevogavelmente homogeneizados”, ele não imaginou que 25 anos depois sua tese não se comprovaria. Isso porque as necessidades e desejos das pessoas diferem dramaticamente ao redor do mundo. Para as marcas globais, essa constatação é uma dura realidade, pois precisam entender cada novo mercado de atuação para empreender estratégias específicas de posicionamento na comunicação, sem perder sua essência.

Química quântica

Outubro de 2009

Aparentemente, o título acima contém um erro crasso, trocando as bolas e campos da ciência. Afinal, a teoria do quantum, concebida pelo cientista alemão Max Planck em 1900, faz parte do desenvolvimento das ideias sobre a estrutura atômica aplicadas a fenômenos da física. De acordo com ele, a luz e outras formas de energia – eletricidade ou calor – não são emitidas a partir dos átomos como um fluxo contínuo, mas sob a forma de “pacotes” distintos, que denominou quanta. Pois foi a palavra de origem latina, sinônima de “quanto, tanto, o mais possível” que, no processo inicial de reposicionamento da Ipiranga Química, se configurou como a opção adequada para seu novo nome.

Sob novas luzes

Outubro de 2009

Sustentabilidade dá o tom na linha de embalagens de iluminação da Golden, carro-chefe do reposicionamento de sua imagem e estratégia. De forma visível, porém incógnita, ela tem marcado sua presença, desde as cidades históricas mineiras às pontes interligando a charmosa ilha de Florianópolis, da estátua do Cristo Redentor no Rio de Janeiro à decoração de natal do Parque do Ibirapuera em São Paulo, da orla marítima de Vitória ao Rodoanel paulistano, do Palácio de Cristal em Petrópolis ao Espaço Gourmet da recente edição do evento Casa Cor. Da mesma forma, integrou as plantas industriais de empresas como Arno, Natura e Coteminas e as unidades comerciais das redes Extra e Atacadão.

Em nome do bem-estar

Outubro de 2009

Instituição hospitalar veneranda e secular recorre às ferramentas de um design dinâmico e fluido, seguindo as tendências contemporâneas do segmento. Se ainda prevalecem os fundamentos enumerados pelo grego Hipócrates de Cos (460-370 a.c.) em seu juramento ético, base e definição do correto exercício da medicina, muita coisa se transformou nas práticas e procedimentos dos profissionais ligados a ela. Isso é claramente perceptível, por exemplo, nas técnicas e formas contemporâneas de atuação hospitalar, cada vez mais vocacionadas para a consolidação de uma imagem em que os aspectos da prevenção e da cura se impõem em detrimento dos vinculados aos males e às doenças.

Pistas visuais

Julho de 2013

Conjunto de pistas constituídas por elementos visuais, auditivos e até táteis, wayfinding design permite localização espacial segura e orientada sem a experiência perturbadora e estressante da falta de informação Pense num campus universitário repleto de blocos, salas de aula, laboratórios, bibliotecas – dos quais você quer achar apenas um endereço. Ainda por cima, com vias para carros no seu interior, entradas, saídas, estacionamentos, acessos. Informações decisivas como a localização no espaço urbano da cidade, o número do prédio e o andar onde se encontra são fundamentais para cumprir esse objetivo, embora estejam tão naturalizadas no nosso cotidiano que as usamos automaticamente.

Design a serviço da conveniência

Julho de 2013

Um espaço. Dois públicos. Tornar possível a convergência de pessoas com necessidades distintas em um único ambiente foi o diferencial do projeto de renovação das lojas da AM/PM. Um estabelecimento comercial de vizinhança que disponibiliza uma gama variada de produtos e continua aberto, enquanto os demais já fecharam suas portas. É a partir desse conceito que surgiram, no início do século 20, nos Estados Unidos, as lojas de conveniência, oferecendo facilidade nas compras de última hora. A primeira delas foi criada em 1927, em Dallas, pelo visionário Jefferson Green ao observar que muitos clientes precisavam adquirir pão, leite e ovos após o horário de funcionamento das mercearias locais.

Evolução sob olhar de especialistas

Julho de 2013

Em um exercício de codesign e design thinking , clientes foram peças-chave na elaboração da linha de produtos de floor care da 3M, desenvolvida pelo GAD’Innovation. Presente em mais de 65 países, a 3M no Brasil sempre teve sua imagem associada especialmente à confecção de esponjas por meio da Scotch-Brite. Assim, promover uma extensão de marca, conquistando espaço em um novo segmento do mercado de home care, que agregasse design e funcionalidade – características já presentes em outros produtos da companhia – constituíram-se em um desafio e tanto para a multinacional. Somado a isso, aliar uma mudança de percepção de materiais de limpeza antes considerados de “menor importância” no dia a dia doméstico das moradias. Como conceber uma estratégia mais bem-sucedida para o seu lançamento? 

Novas fronteiras do pluga.

Julho de 2013

Naming , estratégia, identidade e linguagem de marca contribuem decisivamente para construir experiência de design de produto na área de telefonia via internet.

Falar faz parte da condição humana. E, nestes tempos de comunicação multifacetada, como falamos! É via celular, internet, redes sociais e até por meio de aplicativos específicos, como o Whatsapp, além de todas as outras formas tradicionais de conexão. No entanto, ainda é incipiente a utilização de aparelhos de telefonia com internet no Brasil: por vezes é custoso, difícil de acessar ou pouco prático. É neste mercado em potencial que entra a atuação do GAD', contratado para desenvolver a identidade de marca, design de produto, bem como da estratégia de comunicação da Pligg: plugue e ligue.

Segurança para conectar Pessoas

Janeiro de 2012

Reposicionamento estratégico permitiu que milhares de pessoas beneficiadas  diariamente pelo trabalho da CETIP possam conhecer o valor da companhia para a qualidade do mercado financeiro.

Maior depositária de títulos privados da América Latina, maior câmara de ativos privados do país, 25 anos de mercado, mais de 15 mil clientes institucionais, milhões de pessoas benefi ciadas todos os dias por seus produtos e serviços. Mesmo com todos esses atributos, pouca gente sabe quem é – e o que faz – a Cetip.

 

Consumidor levado a sério

Janeiro de 2012

Remodelagem da linha que lidera mercado De lubrificantes no brasil incluiu sugestões De usuários ouvidos em pontos de venda Líder do mercado brasileiro de lubrificantes automotivos, a linha Lubrax foi totalmente reformulada pela Petrobrás como parte da estratégia de reposicionamento adotada pela empresa – há mais de 30 anos no mercado, a marca nunca havia passado por um processo tão profundo de remodelagem. A ação chegou aos consumidores em abril, depois de dois de pesquisas que incluíram entrevistas com consumidores em pontos de venda. A Petrobras produz no Brasil uma linha completa de lubrificantes, com mais de 100 tipos diferentes de produtos para os setores automotivo, industrial, de aviação, ferroviário e marítimo.

Tinha uma pedra no meio do caminho

Janeiro de 2012

Mas, ao contrário do celebre poema Drummond , a identificação da Herval Com a metafora do seixo rolado ajudou A modernizar a arquitetura da marca E a preparar o grupo para os desafios do Crescimento sustentável Foi com a imagem de um seixo rolado – aquelas pedras que assumem uma forma perfeita devido ao movimento no leito dos rios – que o Gad’ encontrou a síntese mais adequada para a reformulação da marca Herval. Tradicional no varejo de eletrodomésticos mas também com outras vocações empresariais, a empresa precisava tornar mais clara sua comunicação com os vários públicos do empreendimento. A saída foi dividir para unificar. O aparente paradoxo da solução se explica pela diversidade de negócios que o grupo construiu ao longo de 52 anos de história. 

Marca como expressão da cultura

Dezembro de 2010

Uma das mais importantes empresas de engenharia do brasil reposiciona sua marca e alinha sua cultura organizacional para sustentar o crescimento nos próximos anos.

“David venceu Golias”, estampou no título da matéria, a edição especial Melhores e Maiores, da revista Exame, alusiva à empresa vencedora do setor de indústria da construção em 2010 no seu conceituado ranking anual. Em um setor dominado por gigantes, conhecidas como as “cinco irmãs” - Odebrecht, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, OAS e Queiroz Galvão - a jovem Galvão Engenharia foi escolhida como a empresa do ano em sua área de atuação. Uma ascensão que se consolidou nos últimos três anos, colocando-a em lugar de destaque entre as maiores empreiteiras do país.

Império dos sentidos

Dezembro de 2010

Loja conceito proporciona a clientes uma inegável experiência que renova o valor da marca. Frequentemente, quando o assunto se relaciona a mobiliário, cabe evocar a máxima de que “uma imagem vale mais do que mil palavras”. A um simples olhar, forma, desenho, estilo, acabamento etc. são captados de imediato. Mas nada melhor do que uma experiência sensorial completa em que os outros sentidos entrem em ação para uma correta percepção do(s) objeto(s) em questão, desde os materiais utilizados até o processo construtivo e a tecnologia utilizada.

Conexão total

Dezembro de 2010

Liberdade e autonomia do consumidor serviram de alavancas para a loja conceito interativa da maior operadora de celulares do país.
Poucos setores têm se mostrado tão mutáveis e competitivos quanto o das telecomunicações, fruto das transformações profundas que o segmento sofreu nos últimos anos. A evolução das tecnologias, as novas exigências dos consumidores e a acirrada disputa pelo mercado entre os concorrentes têm contribuído para colocar permanentemente em xeque os modelos de negócios das empresas de telefonia.