BUILDING BRANDS, CREATING NEWS

GAD vence Prêmio Aberje nacional com case B3

22.Novembro

O projeto de Branding, desenvolvido para  a fusão da BM&Bovespa e  Cetip, supera Coca-Cola, Vale e Banco do Brasil e se consagra como grande vencedor na categoria Comunicação de Marca
 
O projeto desenvolvido pelo GAD, uma das mais importantes consultorias de Branding e Design do país, para o lançamento da marca B3 (resultante da fusão entre BM&FBOVESPA e Cetip) foi o grande vencedor do 43º Prêmio Aberje etapa nacional, na categoria Comunicação de Marca. Depois de vencer a etapa regional São Paulo, o case B3 disputou o troféu com Coca-Cola (representante do Espírito Santo e Rio de Janeiro), Vale (Norte e Nordeste); Banco do Brasil (Minas Gerais e Centro-Oeste); e Rede Marista (Sul).
Promovido pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), o prêmio, entregue nesta quinta-feira à noite, 22, em São Paulo,  é um dos mais importantes do setor de comunicação e reconhece as organizações e os profissionais que se destacam na área da comunicação. Composto por 18 categorias e quatro etapas de avaliação - Triagem, Etapa de Premiação Regional, Audiência Pública Brasil e Cerimônia Final – o prêmio compartilha cases inspiradores de profissionais e instituições renomadas, que promovem o crescimento da comunicação empresarial e é, reconhecidamente, um dos prêmios de maior credibilidade do setor.
“O prêmio Aberje é definitivamente um grande reconhecimento para o projeto de branding da B3. Um trabalho de grande complexidade, dimensão e relevância como este, com tantos desafios e variáveis envolvidas, precisava ser profundo, disruptivo e envolvente. E acho que tudo isto foi conseguido a partir de um processo intenso e muito integrado, que nos deu a oportunidade de mostrar quão forte pode ser um trabalho de branding quando conseguimos articular todas as dimensões de uma marca: estratégia, naming, identidade, linguagem, engajamento, comunicação etc. Estamos muito felizes com esta conquista e tenho certeza que foi merecida”, destaca Luciano Deos, presidente do GAD.
A criação da marca.

Com o conceito “Simplificar para potencializar”, o GAD criou a marca B3, que pode ser lida e compreendida mundialmente. A letra B, de Brasil, de Bolsa e de Balcão, entre colchetes e elevada à terceira potência, é a síntese do conceito de simplificação e entendimento visual. 

A marca B3 – Brasil, Bolsa, Balcão representa graficamente a companhia resultante da fusão entre BM&FBOVESPA e Cetip, a partir do entendimento de que potencializar o Brasil e potencializar o mercado, através da Bolsa (um expoente da economia), e dos negócios de Balcão (expertise da Cetip), é o seu maior valor.

O conceito de Naming da companhia foi uma proposta ousada e a simplificação foi radical: reduziu o que seria uma sequência de nomes de empresas a uma letra, trabalhada como uma fórmula. Transformou a marca em uma equação.

A cor escolhida para a marca foi o azul, uma cor sólida, mais confiável e que denota estabilidade. É uma cor bastante corporativa e representa o Brasil, que tem uma associação natural com o tom. 

O lançamento da marca.
O GAD, que além do Branding, compreendendo Estratégia, Naming e Identidade, também foi responsável por todo Roll-out de implantação e pelas campanhas de lançamento, interna (para funcionários) e externa, desenvolveu o projeto a quatro mãos com a equipe de comunicação da B3, envolvendo várias equipes multidisciplinares.
Para enfatizar o conceito de combinação das duas empresas, uma ação diferenciada e inédita foi desenvolvida no dia 30 de março. Os jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo foram entregues juntos, para os assinantes de ambos (cerca de 170 mil), dentro de um envelope azul com logotipo da marca B3 e a frase ”Dois jornais juntos potencializam ainda mais a informação. Duas empresas também”.

No dia de apresentação da marca, 30 de março, também foram veiculados anúncios nos principais veículos de negócios do mundo, como o The New York Times, Financial Times, The Economist e Wall Street Journal.

Também foi planejado uma intervenção nas imediações dos principais prédios da nova companhia, com tótens tridimensionais gigantes da letra B entre colchetes elevada à terceira potência, para interação com o público. No Centro de São Paulo, foi destacada a importância do prédio da Bolsa, um patrimônio histórico da década de 1940, tombado e símbolo da cidade.